Yahoo Web Search

  1. Feudalism - Wikipedia

    en.wikipedia.org › wiki › Feudalism

    Feudalism, also known as the feudal system, was the combination of the legal, economic, military, and cultural customs that flourished in Medieval Europe between the 9th and 15th centuries. Broadly defined, it was a way of structuring society around relationships that were derived from the holding of land in exchange for service or labor.

    • Definition

      There is no commonly accepted modern definition of...

    • Etymology

      The root of the term "feudal" originates in the...

    • History

      Feudalism, in its various forms, usually emerged as a result...

    • Feudal society

      The phrase "feudal society" as defined by Marc Bloch offers...

    • Historiography

      The idea of feudalism was unknown and the system it...

    • Manorialism

      Manorialism, also known as the manor system or manorial...

  2. Feudal (game) - Wikipedia

    en.wikipedia.org › wiki › Feudal_(game)

    From Wikipedia, the free encyclopedia Feudal is a chess -like board wargame for 2–6 players on two or four opposing sides. It was originally published by 3M Company in 1967 as part of its bookshelf game series, and was republished by Avalon Hill after they purchased 3M's game division.

    • 2-6
    • 1967-present
  3. Feudalism - Simple English Wikipedia, the free encyclopedia

    simple.wikipedia.org › wiki › Feudal
    • Characteristics
    • Marxism
    • Notes and References
    • Other Websites
    • Bibliography

    Under feudalism, taxes were not paid with money. They were paid in products and services. Presents and taxes had to be given to the lords by their vassals. At harvest time, the vassals gave shares of their crops to the lords. The vassals would grind their grainat the noble's granaries. They would give part of the grain to their lord. When animals were killed for food, part of the meat was given to the lords. The lords promised to give protection, peace, and safety to their vassals.

    According to Karl Marx, feudalism was the stage of society before capitalism and after slavery. When the lords and the serfs fought, feudalism ended and capitalism came into being. However, instead of the lords exploiting the serfs, now it was the bourgeoisie exploiting the proletariat.

    Philip Daileader (2001). "Feudalism". The High Middle Ages. The Teaching Company. ISBN 978-1-56585-827-5

    Bloch, Marc (1961). Feudal Society. University of Chicago Press. ISBN 978-0-226-05979-2.
    Francois-Lois Ganshof, Feudalism.Tr Philip Grierson. New York: Harper and Row, 1964.
    Jean-Pierre Poly and Eric Bournazel, The Feudal Transformation, 900-1200., Tr. Caroline Higgitt. New York and London: Holmes and Meier, 1991.
    Reynolds, Susan (1996). Fiefs and Vassals: The Medieval Evidence Reinterpreted. Oxford University Press on Demand. ISBN 0-19-820648-8.
  4. Feudal aid - Wikipedia

    en.wikipedia.org › wiki › Feudal_aid

    Feudal aid From Wikipedia, the free encyclopedia Feudal aid is the legal term for one of the financial duties required of a feudal tenant or vassal to his lord. Variations on the feudal aid were collected in England, France, Germany and Italy during the Middle Ages, although the exact circumstances varied.

  5. People also ask

    How would you describe the feudal system?

    How would you describe feudalism?

    What is a feudal period?

    What was the feudal system in the Middle Ages?

  6. Life Is Feudal - Wikipedia

    en.wikipedia.org › wiki › Life_Is_Feudal
    • Overview
    • Development
    • Life is Feudal: Your Own
    • Life is Feudal: MMO

    Life is Feudal is video game franchise set in a fictional Medieval world, developed by Bitbox Ltd. On top of their two flagship titles - Life is Feudal: Your Own and Life is Feudal: MMO, Bitbox Ltd have expanded the franchise by publishing other titles, such as MindIllusion's title, Forest Village. Life is Feudal: Forest Village DeveloperMindillusion PublisherBitbox Ltd. DesignerВячеслав Доценко, Oleg Kolyada, Дмитрий Шкаровский EngineFeudal Engine...

    During the late winter of 2014, the indie team - which later became Bitbox Ltd - had created a working tech demo for the concept of Life is Feudal: MMO, showcasing many of the main gameplay features, such as real time multiplayer, terraforming, and objects construction. After finding an investor, development continued for two years, with a team of originally five that grew to fifteen during this period of time. Both Life is Feudal: Your Own and Life is Feudal: MMO shared many of the core mechani

    In Life is Feudal: Your Own, the player is given an open ended starting point on a 9 square kilometers map, from which they must gather necessary resources to survive. Mechanics such as hunger, wild animals and player vs. player combat are the most immediate threats to players, encouraging co-operation with other nearby players in order to gain an advantage. Players can also build structures, weapons and armour, as well as breeding a variety of animals. Life is Feudal: Your Own allows up to 64 p

    Life is Feudal: MMO is a multiplayer sandbox RPG with survival aspects. Described as a "real life Medieval simulator MMO", the game features a 21 km x 21 km world inspired by the cold regions of Northern Europe. Life is Feudal: MMO takes place in a realistic feudal setting where players work their way up from scavenging for materials and shelter to becoming a leader of a guild. The game features a crafting system, building features, and terraforming across the map - meaning players can build the

    • Vladimir Piskunov, Artur Borodin
    • Feudal Engine (Modified Torque 3D Version 1.1)
    • Bitbox Ltd.
    • 17 November 2015
  7. History of Japan - Wikipedia

    en.wikipedia.org › wiki › Feudal_Japan

    The new national leadership of the following Meiji period transformed the isolated feudal island country into an empire that closely followed Western models and became a great power. Although democracy developed and modern civilian culture prospered during the Taishō period (1912–26), Japan's powerful military had great autonomy and ...

    • 14,000-1000 BC
    • 1000 BC-300 AD
    • 300-538
  8. Feudalismo - Wikipedia, la enciclopedia libre

    es.wikipedia.org › wiki › Feudalismo
    • Etimología
    • Uso Del término Feudalismo
    • Antecedentes
    • El Vasallaje Y El Feudo
    • Los Estamentos Sociales
    • Final
    • Economía Feudal
    • Crisis Del Feudalismo
    • Véase también
    • Bibliografía

    La palabra «feudalismo» es un término erudito y tardío (siglo XVII), que deriva de la palabra «feudo» (del latín medieval, feodum o feudum)[5]​ por intermedio del adjetivo «feudal». Los términos «feudo» y «feudal» son mucho más antiguos. En su forma latina, la única empleada originalmente en los documentos, «feudo» (fevum) se remonta al siglo X, pero no se expandió su uso hasta el siglo XI. Por su parte «feudal» (feodalis) data del siglo XI.[6]​

    El fracaso del proyecto político centralizador de Carlomagno llevó, en ausencia de ese contrapeso, a la formación de un sistema político, económico y social que los historiadores han convenido en llamar feudalismo, aunque en realidad el nombre nació como un peyorativo para designar el Antiguo Régimenpor parte de sus críticos ilustrados. La Revolución francesa suprimió solemnemente "todos los derechos feudales" en la noche del 4 de agosto de 1789 y "definitivamente el régimen feudal", con el decreto del 11 de agosto. La generalización del término permite a muchos historiadores aplicarlo a las formaciones sociales de todo el territorio europeo occidental, pertenecieran o no al Imperio Carolingio. Los partidarios de un uso restringido, argumentando la necesidad de no confundir conceptos como feudo, villae, tenure, o señorío lo limitan tanto en espacio (Francia, Oeste de Alemania y Norte de Italia) como en el tiempo: un "primer feudalismo" o "feudalismo carolingio" desde el siglo VIII h...

    El sistema feudal europeo tiene sus antecedentes en el siglo V, al caer el Imperio romano. El colapso del Imperio acaeció básicamente por su extensión y la incapacidad del emperador para controlar todas sus provincias, sumado cada vez más numerosas incursiones de pueblos bárbaros que atacaban y saqueaban las provincias más retiradas del imperio. Esto provocó que los emperadores necesitaran gente para defender sus grandes terrenos y contrataran caballeros o nobles (precursores del modelo de señor feudal), que a su vez contrataran vasallos, villanos, etc. Se llegó incluso a contratar a jefes y tropas mercenarias de los mismos pueblos "bárbaros". A partir del siglo X no queda resto de imperioalguno sobre Europa. La realeza, sin desaparecer, ha perdido todo el poder real y efectivo, y sólo conserva una autoridad sobrenatural remarcada por las leyendas que le atribuyen carácter religioso o de intermediación entre lo divino y lo humano. Así, el rey no gobierna, sino que su autoridad viene...

    Dos instituciones eran claves para el feudalismo: por un lado el vasallaje como relación jurídico-política entre señor y vasallo, un contrato sinalagmático (es decir, entre iguales, con requisitos por ambas partes) entre señores y vasallos (ambos hombres libres, ambos guerreros, ambos nobles), consistente en el intercambio de apoyos y fidelidades mutuas (dotación de cargos, honores y tierras -el feudo- por el señor al vasallo y compromiso de auxilium et consilium -auxilio o apoyo militar y consejo o apoyo político-), que si no se cumplía o se rompía por cualquiera de las dos partes daba lugar a la felonía, y cuya jerarquía se complicaba de forma piramidal (el vasallo era a su vez señor de vasallos); y por otro lado el feudo como unidad económica y de relaciones sociales de producción, entre el señor del feudo y sus siervos, no un contrato igualitario, sino una imposición violenta justificada ideológicamente como un quid pro quode protección a cambio de trabajo y sumisión. Por tanto,...

    La división en tres órdenes se subdividía a su vez en estamentos compactos y perfectamente delimitados. En una primera división, se encuentra el grupo de los privilegiados, todos ellos señores, eclesiásticos o caballeros. En la cúspide se hallaba el Rey, después el Alto Clero integrado por arzobispos, obispos y abades y el Bajo Clero formado por los curas y sacerdotes, y por último la nobleza. Es este grupo de privilegiados el que forma los señores y los caballeros, y estos últimos a su vez podían ser señores de otros caballeros, dependiendo de su poder y de la capacidad de subinfeudar sus tierras. El Alto Clero, además de las tareas que dentro de los tres órdenes le habían sido encomendadas, la guía espiritual y sostener la doctrina moral que mantenía el feudalismo, podían ser a su vez señores y entregar parte de sus bienes para la defensa de su comunidad. Los privilegiados no pagaban impuestos. Los no privilegiados eran la burguesía, los artesanos, los sirvientes y los campesinos,...

    El sistema feudal, desde el punto de vista político, inicia su decadencia al comenzar las Cruzadas. Aun cuando desde el punto de vista social y económico en algunos países persiste hasta nuestros días. El predominio absolutista de los reyes y con la adquisición de libertades por parte de las ciudades termina de poner fin al sistema.

    Las invasiones que sufre Europa durante más de cien años (normandos, musulmanes, eslavos) con la caída del Imperio romano de Occidente y el posterior debilitamiento del Imperio carolingiofrenaron la actividad económica hasta las puertas del año 1000. Es en este momento cuando se extienden modernas técnicas agrícolas que, existiendo anteriormente, habían quedado reducidas a pocos espacios territoriales. Entre ellos cabe destacar el aumento en el uso de los molinos de agua como fuerza motriz y de las acequias para riego, extendiendo los cultivos y liberando mano de obra. Además, mejoran los métodos de enganche de los animales, especialmente el caballo y el buey, cuya cría aumenta de manera notable y permitirá disponer de animales de tiro en abundancia. Los instrumentos de uso agrícola, como el arado o la azada, generalmente de madera, son sustituidos por otros de hierro. La explotación agraria feudal era de subsistencia. Los siervos cultivaban lo suficiente para mantenerse a sí mismos...

    La crisis del feudalismo es el periodo de decadencia por el cual pasa el feudalismo, y se caracteriza por el agotamiento de las tierras de cultivo y la falta de alimentos, lo que por consecuencia produjo hambruna y una gran cantidad de muertos. A ello hay que añadir la aparición de graves enfermedades infectocontagiosas o epidémicas, como las pestes. Tal es el caso de la conocida peste negra, que disminuyó notoriamente la población europea. A partir del siglo XIII, la mejora de las técnicas agrícolas y el consiguiente incremento del comercio hizo que la burguesía fuera presionando para que se facilitara la apertura económica de los espacios cerrados de las urbes, se redujeran los tributos de peajey se garantizaran formas de comercio seguro y una centralización de la administración de justicia e igualdad de las normas en amplios territorios que les permitieran desarrollar su trabajo, al tiempo que garantías de que los que vulnerasen dichas normas serían castigados con igual dureza en...

    Anderson, Perry (1979). Transiciones de la Antigüedad al Feudalismo. Madrid: Siglo XXI. ISBN 84-323-0355-0.
    Balari i Jovany, Josep. Orígenes históricos de CataluñaEdición Facsímil (2001) Universidad de Alicante. Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes.
    Bloch, Marc. (1987) La sociedad feudal. Madrid: Akal, ISBN 978-84-7600-262-9
    Duby, Georges (1976). Guerreros y Campesinos. Desarrollo inicial de la economía europea (500-1200). Trotta. ISBN 84-323-0229-5.
  9. Feudalism - Wikipedia

    ro.wikipedia.org › wiki › Feudal
    • Geneza
    • Feudalismul Românesc
    • Vezi și

    Geneza acestei orânduiri a avut loc pe două căi: 1. prin sinteza germenilor relațiilor feudale - apărute în faza de destrămare a relațiilor sclavagiste - cu germenii acelorași relații, constituiți în procesul de descompunere a societății primitive, în care trăiau popoarele migratoare (barbare). Această sinteză a condus la rândul ei la două variante: 1.1. cea dintâi a asociat în chip particular elementele romane și cele barbare și a fost caracteristică zonelor care au cunoscut formele clasice ale feudalismului din Europaapuseană și centrală; 1.2. în cea de-a doua, elementele romane au fost preponderente și ea se mai întâlnește în bazinul mediteranean, feudalismul bizantin fiind exemplul cel mai tipic; 2. apariția relațiilor feudale în cazul procesului de dezagregarea structurilor societății primitive (elementele de „sinteză“ preluate din lumea romană fiind total absente sau cu o pondere neînsemnată). Acest tip de feudalism poate fi identificat în evoluția popoarelor de origine celtă,...

    Feudalismul românescse încadrează în acest din urmă tip întrucât la nivelul relațiilor de producție care este definitoriu pentru o formațiune economico-socială apariția celor două clase fundamentale ale societății feudale - țăranii dependenți și stăpânii de moșii - și a relațiilor dintre ele a fost rezultatul destrămării obștilor sătești de origine autohtonă, elementele preluate din lumea romano-bizantină acționând doar la nivelul instituțiilor. A fost vehiculată și ideea, neargumentată suficient, că feudalismul românesc s-ar fi constituit mai târziu, fiind precedat de o orânduirea tributală. Cert este că și în feudalismul clasic, dar și cel românesc pot fi distinse două nivele: 1. cel al bazei - relațiile de producție în cadrul senioriei în sensul de domeniu 2. cel al suprastructurii - ansamblul de raporturi feudo-vasalice, întemeiate pe fidelitatea personală și obligații contractuale. Domeniul feudal este elementul definitoriu al feudalismului și constituie principalul cadru de or...

  10. Feudalismo – Wikipédia, a enciclopédia livre

    pt.wikipedia.org › wiki › Feudalismo
    • Introdução
    • A Formação Do Feudalismo
    • as Ordens Da Sociedade Feudal
    • Origem E Natureza Do Poder Feudal
    • O Feudo
    • A Economia Feudal
    • A Cultura Feudal
    • O Mundo Feudal em Transformação
    • Ver também
    • Ligações Externas

    Com uma multiplicidade de problemas a afectá-lo, Teodósio viu-se na necessidade de dividir o Império Romano em duas partes distintas. Uma sediada no Ocidente e outra com sede em Bizâncio, depois Constantinopla, atual Istambul. Sortes distintas tiveram estes territórios. O do ocidente acossado pelas contradições internas mas também assoladas com várias vagas de invasores, sucumbiu não conseguindo mais manter o seu poderio que lhe deu fama e abriu a porta a uma nova realidade, a fragmentação do poder em vários senhores, em suma o Feudalismo.[7]

    Os romanos, a exemplo dos gregos, chamavam de "bárbaros" a todos aqueles que não tinham seus costumes e que não falavam sua língua. Entre esses povos, estavam os germanos, cujas invasões provocariam a desestruturação do Império Romano do Ocidente.[8] A partir do fim do século III, com o enfraquecimento do poder de Roma, alguns povos que habitavam nas proximidades das fronteiras do Império começaram a se instalar pacificamente em seu território, como aliados, isto é, como colonos e, sobretudo, como soldados.[7] No final do século IV, os hunos, povo guerreiro de origem asiática, chegaram a Europa oriental e mudaram esse quadro, acelerando o processo de desintegração do Império Romano. Praticamente empurrados pelas invasões dos hunos, os povos germânicos levariam de roldão as fragilizadas defesas das fronteiras romanas. Assim, francos, burgúndios, alamanos, ostrogodos, visigodos, anglo-saxões invadiam e pilhavam as cidades do Império.[8] Em 410, os visigodos ocuparam a península Itálic...

    A sociedade feudal é dividida em três grandes ordens. A primeira compreendia os oratores, "aqueles que rezam", os integrantes do clero, que cuidavam da fé cristã. Na prática, exercia grande poder político sobre uma sociedade bastante religiosa, onde o conceito de separação entre a religião e a política era desconhecido. Mantinham a ordem da sociedade evitando, por meio de persuasão e criação de justificativas religiosas, revoltas e contratações camponesas. A segunda reunia os bellatores, "os que lutam", incluindo a nobreza por um todo, responsáveis pela guerra e pela segurança. Já a última ordem era a dos laboratores, "aqueles que trabalham", constituída pelo povo (servos e súditos), que trabalhava para sustentar toda população.[15][16] O que determinava o status social era o nascimento, porém, não se pode dizer que a mudança de classe social não existisse, pois alguns camponeses tornavam-se padres e passavam a integrar o baixo clero, por exemplo, mas essa mudança era rara e um serv...

    A partir do século III, o Império Romano conheceu um longo processo de desestruturação e um dos principais fatores desta foi a dificuldade de gerir e manter unido o seu vasto território.[10] Depois da derrocada do Império Romano do Ocidente a Europa havia se fragmentado em uma multiplicidade de reinos e principados, e o Sacro Império, que pretendeu substituir Roma, só conseguiu manter sua coesão por pouco tempo, também ele fragmentando-se em ducados e condados largamente autônomos. Estes por sua vez, da mesma forma não conseguiram se sustentar no longo prazo, e o resultado é que no século XI o poder havia se pulverizado em uma infinidade de senhorios e feudos de dimensões relativamente reduzidas (áreas de apenas 150-200 hectares não eram raras, mas em geral eram maiores), e de administração largamente independente das autoridades maiores. Os imperadores, reis, príncipes, duques e condes continuaram a existir, mas sua capacidade de interferir diretamente nos senhorios declinou rapida...

    Os feudos eram os núcleos com base nos quais a sociedade feudal se organizou. Por volta do ano 1000, a maioria das pessoas na Europa ocidental vivia em feudos. Nesse período, a terra converteu-se no bem mais importante, por ser a principal fonte de sobrevivência e de poder.[9] As terras do feudo distribuíam-se da seguinte forma:[8] 1. Manso senhorial – Representava cerca de um terço da áreatotal e nela os servos e vilões trabalhavam alguns dias por semana. Toda produção obtida nessa parte da propriedade pertencia ao senhor feudal; 2. Manso servil– Área destinada ao usufruto dos servos. Parte do que era produzido ali era entregue como pagamento ao senhor feudal; 3. Terras comunais – Era a parte do feudo usada em comum pelos servos e pelos senhores. Destinava-se à pastagem do gado, à extração de madeirae à caça, direito exclusivo dos senhores. Muitas cidades europeias da Idade Média tornaram-se livres das relações servis e do predomínio dos nobres. Essas cidades chamavam-se burgos. Po...

    A produção feudal própria do Ocidente europeu tinha por base a economia agrária, de escassa circulação monetária, auto-suficiente. A propriedade feudal pertencia a uma camada privilegiada, composta pelos senhores feudais, altos dignitários da Igreja e longínquos descendentes dos chefes tribais germânicos. As estimativas de renda per capita da Europa feudal a colocam em um nível muito próximo ao mínimo de subsistência.[9] Na Alta Idade Média ocorreu uma acentuada retração das atividades comerciais e artesanais. Em razão disso, houve um processo de ruralização da sociedade da Europa ocidental, com o predomínio da agricultura de subsistência.[9] A principal unidade econômica de produção era o feudo, que se dividia em três partes distintas: a propriedade individual do senhor, chamada manso senhorial ou domínio, em cujo interior se erigia um castelo fortificado; o manso servil, que correspondia à porção de terras arrendadas aos camponeses e era dividido em lotes denominados tenências; e...

    As heresias

    Aqueles que questionavam os dogmas (verdades reveladas) instituídos pela Igreja eram vistos como inimigos. Em outras palavras, os que interpretavam os ensinamentos cristãos de maneira diferente daquela que a Igreja pregava eram chamados de hereges (por professarem uma fé diferente da católica).[7] Com o intuito de manter a coesão da Igreja e da cristandade, reagindo aos levantes de seitas e grupos dissidentes, a Igreja voltou-se contra os hereges. Como forma de reprimi-los, criou-se o Tribuna...

    O clero secular e o clero regular

    Desde o final da Antiguidade, a hierarquia do clero era constituída pelo Papa e pelos cardeais, arcebispos, bispos e padres. Eles formavam o clero secular (do latim saeculum, mundo), expressão que designava os sacerdotes que desenvolviam atividades voltadas para o público.[8] Paralelamente, desenvolveu-se o clero regular, formado pelos religiosos que viviam em mosteiros (monges e abades), em regime de reclusão ou semirreclusão.[7] O hábito de viver em mosteiros - chamado monasticismo - foi in...

    Ensino, conhecimento e arte

    Durante a Idade Média, as pessoas que sabiam ler e escrever em geral pertenciam ao clero. Os poucos livros que sobreviveram ao período das invasões germânicas eram conservados nas escassas bibliotecas pertencentes à Igreja. Nelas, os monges copistas encarregavam-se de reproduzir os livros à mão. Dessa forma, os integrantes da Igreja eram os únicos capazes de lidar com o saber escrito e, portanto, com o ensino formal.[8] Todo o ensino estava sob o controle da Igreja e era voltado para o ingres...

    A sociedade feudal conheceu, entre os séculos XI e XIII, um período de grandes mudanças, assinalado pelo advento da arte gótica, da Escolástica e das universidades.[14] Durante esse período, que compreende os primeiros séculos da Baixa Idade Média, houve um aumento populacional proporcionado pela diminuição das invasões e das epidemias que assolaram a Europa durante os primeiros séculos do feudalismo. Esses acontecimentos, associados às características do próprio sistema feudal, como descentralização do poder e isolamento dos feudos, minaram algumas estruturas peculiares a esse sistema.[11] Para a composição do novo quadro, foram decisivas as Cruzadas, expedições de caráter religioso e militar surgidas no final do século XI. Elas contribuíram para acentuar as mudanças na estrutura do feudalismo na Baixa Idade Média.[10] Em decorrência das Cruzadas, algumas cidades começaram a surgir, outras renasceram e os vínculos de servos e senhores feudais sofreram drásticas alterações. As profu...

    Daimyo, para feudalismo no Japão
    Europa Feudal, para feudalismo na Europa
  11. People also search for